Pedagogia e Psicologia

Psicologia, desembaralhamento de ideias
Símbolo psicologia

"A educação muda vidas [...] quando você pensa em ajudar as pessoas, quer contribuir na vida das pessoas, quer fazer coisas para a sociedade [...] é nessa busca que eu cheguei na pedagogia" - Elisa Caroline

Imagem estudante de pedagogia na unifesp, participante da feira de profissões

Filipe H. Peixoto

Estudante

Pedagogia na UNIFESP

Imagem de estudante de pedagogia na UFMG, participante da feira de profissões

Estudante

David Cerchi

Pedagogia na UFMG

Imagem estudante de pedagogia na USP, participante da feira de profissões
Imagem de pedagoga, psicopedagoga e mestre em educação, participante da feira de profissões palestrante

Estudante

Elisa Caroline

Pedagogia USP

Profissional

Ana Maris Goulart

Pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação

Palestrante da feira de profissões do educa, formada em psicologia clinica e organizacional, gestora, docente

Profissional

Lourdes Silva

Psicologia clínica e organizacional,   consultora em gestão de pessoas, orientação profissional e docente

seta para baixo

confira o resumo!

O curso de pedagogia sofre muitos estigmas, mas apesar disso é uma área com vasta possibilidade de atuação e pesquisa. A grade de pedagogia envolve muitas matérias gerais como sociologia, história, filosofia, comunicação, psicologia, arte, entre outras, dependendo do seguimento da faculdade e a grade que apresenta. Em geral, o início da graduação é mais amplo e passa a ser mais focado nos últimos anos, abrangendo áreas como libras, educação infantil, educação especial, etc. Dentre todas as matérias do curso, são vistos diversos teóricos, abrindo oportunidades de especialização em inúmeras abordagens, necessitando o constante desenvolvimento da leitura e da escrita. Dentro das faculdades existem diversos projetos complementares, como as iniciações científicas com bolsa ou voluntariado, que são ótimas para as áreas acadêmicas, por exemplo. Outros projetos como os observatórios também permitem a realização de ações externas ao instituto.

 

Além disso, a monitoria de matérias que permite a aproximação do voluntário a uma aula de seu curso (já cumprida), dos alunos que estão cursando e dos docentes.

 

Assim como na psicologia, a pedagogia trabalha muito com pessoas. O pedagogo é habilitado a trabalhar nos anos iniciais do ensino, com jovens e adultos (EJA) apenas com o diploma da graduação, sem a necessidade de especializações. Mas além da sala de aula, que é a atuação mais comum do pedagogo, o curso oferece outros tipos de atuação:

 

Gestão: A parte de gestão é um dos segmentos da pedagogia, presente em orientação educacional (acompanhamento geral de alunos, internamente e externamente à escola, com psicólogos e pedagogos nesta área); coordenação pedagógica (parte interna da administração da escola, acompanhando os docentes na maior parte do tempo); direção escolar (gestão geral da escola); e supervisão educacional (gestão geral de uma rede de escolas). 

 

Empresarial: A pedagogia também está presente dentro de empresas, ramo crescente atualmente. Normalmente, todas as grandes organizações dependem da atuação de um pedagogo em programas de treinamento, geralmente para a construção juntamente ao RH.

 

Consultoria: O campo da consultoria pedagógica trabalha no auxílio de questões específicas especialmente dentro de escolas, autonomamente ou vinculado a uma empresa. 

 

Editoração: Dentro de editoras o pedagogo pode trabalhar na revisão e criação de materiais didáticos, como livros e jogos. Atualmente, é um nicho grande e crescente devido a constante atualização destes materiais, principalmente nos livros.

 

Tecnologia: No ramo de tecnologia, o pedagogo pode atuar na área de designer instrucional na revisão e criação de cursos em plataformas digitais para empresas que oferecem estes recursos (cursos e aulas). 

 

Educação hospitalar e especial: A pedagogia hospitalar é um ramo presente dentro do âmbito da saúde, tratando de crianças e jovens que dependem do hospital e são impossibilitados de frequentar escolas. Esta área depende de formações posteriores para especialização. Semelhante a pedagogia hospitalar, a educação especial também depende de uma formação especializada para atuação em sala especiais. A exemplo de salas bilíngues com ensinamento de libras para crianças surdas e mudas.

 

Psicopedagogia: A psicopedagogia é uma área de intersecção entre a psicologia e a pedagogia, possibilitando a atuação escolar e clínica, auxiliando principalmente docentes e discentes no âmbito psicológico.

 

Pesquisa: A área de pesquisa é um ramo grande, não apenas acadêmica (público) como também em organizações privadas que investem em pesquisa em educação.

 

Pedagogia social: A pedagogia também está presente em projetos sociais, como na educação de pessoas em privação de liberdade (escolas conjuntas a prisões); na educação em museus/centros de cultura, que dependem integralmente de educadores; escolas agrícolas/rurais familiares que dependem de pedagogos essencialmente no interior dos estados; educação indígena, presente em abundância em SP por ter grande população indígena na cidade de São Paulo e Guarulhos; ONGS que precisam de educadores sociais, sendo cada uma com sua própria temática, tal como ONGS voltadas para complementação da educação de crianças e jovens em vulnerabilidade social.

 

O curso de psicologia possui diversos ramos de estudo e atuação, cada faculdade tem uma abordagem principal, mas em geral aborda campos gerais. Existem abordagens mais breves, voltadas para eventos situacionais, demandando menos tempo comparado a procedimentos psicanalíticos, que é mais profundo, analisando as camadas do inconsciente ao consciente. Com estas abordagens, o aluno pode analisar a que mais tem afinidade e vai se encaixando e aprofundando com a teoria. Tal como no curso de pedagogia, a psicologia depende de muita leitura e pesquisa para complementar o embasamento, pois a maneira de atender outras pessoas depende da responsabilidade proveniente disto. Além disso, é muito comum a leitura no curso também para analisar personalidades e criar conexões cotidianas.

 

A área de atuação mais famosa da psicologia é a área clínica, porém existem muitas outras áreas que dependem da presença do psicólogo para auxiliar seu desenvolvimento:

 

Esporte: Dentro das modalidades esportivas é comum a presença de um psicólogo que auxilia atletas dentro das atividades que exercem, principalmente em questões com a concentração e aumento no rendimento.

 

Trânsito: Pouco conhecida, a atuação de psicólogos em treinamentos de direção é muito comum, em áreas como o exame psicotécnico, fundamental para validar a carteira de motorista, por exemplo.   

Psicologia hospitalar: A psicologia hospitalar trabalha com o auxílio emocional de pacientes em situações complexas dentro do hospital, como em casos de doenças terminais. Além dos pacientes, também é comum os psicólogos oferecerem apoio aos familiares.

 

Psicologia organizacional: A psicologia organizacional atua na gestão de pessoas dentro de uma organização, mediando conflitos entre os funcionários, aumentos de rendimento, entre outras questões internas e externas individuais. Esta área está muito relacionada ao RH de uma empresa. Em geral, normalmente por estar vinculada a uma organização, esta é a área que pode garantir mais rapidamente um retorno financeiro.

 

Psicologia social: Profissionais da área de psicologia, tal como os de pedagogia, atuam normalmente com pessoas com vulnerabilidade social, como indivíduos com privação de liberdade em prisões, CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), entre outras áreas. 

 

Neurociência: A neurociência é mais voltada para pesquisa em relação a funções cerebrais.

 

Arte dramática: É comum a presença de psicólogos auxiliando na construção de personagens e roteiros de peças teatrais e cinematográficas a fim de uma representação mais similar ao cotidiano, a exemplo do filme Divertidamente (2015), que depende de uma vasta pesquisa acerca dos sentimentos e emoções.