Globo, internacional

Direito e Relações Internacionais

"O direito se resume em fazer valer o direito das pessoas" - Dr. Fábio Balieiro

Balança símbolo de direito
Estudante de Relações Internacionais
Imagem estudante de direito na usp

Estudante

Beatriz Wetter

Relações Internacionais na UFABC

Estudante

Lucas M. Dias

Direito na USP

ícone avatar azul.png
Profissional de Direito

Estudante

Lucas Geiss

Relações Internacionais na ESPM

Profissional

Dr. Fabio Balieiro

Formado em Direito

Profissional de Relações internacionais

Dra. Tamires Souza

Profissional

Formada em Relações Internacionais

seta para baixo

confira o resumo!

Direito:

 

O profissional de Direito tem como objetivo atuar em prol de direitos individuais e empresariais. Por se tratar de um trabalho contencioso e consultivo, tanto para a vida acadêmica quanto para o profissional de Direito, a leitura é essencial e se manter bem informado é imprescindível. Fora isso, o curso de Direito é extremamente teórico, o que também exige a leitura como fator principal de um bom desempenho no curso e na carreira. 

 

A rotina de trabalho de uma profissional de Direito no setor privado tende a ser bastante intensa, com muitos atendimentos ao cliente, tocar processos e auditorias, por exemplo. De uma forma geral, os aprendizados da universidade são fortemente utilizados no profissional.

 

Quanto às diferenciações entre um trabalho de setor privado e público dentro do Direito tem-se que, para performar em ambos setores, é necessário ter muito conhecimento sempre (destaca-se novamente a importância da leitura), o que faz com que a grande diferença entre os dois seja o perfil do trabalhador.

 

Dentro do setor privado há uma instabilidade maior em termos de garantia de emprego, mas a longo prazo o salário tende a aumentar seu valor conforme o advogado cresce na carreira. Já no setor público é o inverso, apresentando uma grande estabilidade de carreira, mas com salários que não alteram-se a longo prazo. Sendo assim, atualmente, os concursos públicos não são mais tão atrativos assim para profissionais de Direito.

 

Diferente do que é visto em filmes, são raras as vezes que um advogado vai ao tribunal, desta forma, existem diversas outras áreas em que um advogado pode exercer a sua profissão como a área criminal, civil, trabalhista, ambiental e etc. 

 

As universidades que possuem o curso de Direito normalmente permitem o aluno a iniciar o estágio em qualquer semestre da faculdade, e muitas delas incentivam o ingresso dos estudantes na carreira, sendo assim, as vagas de estágio e emprega na área são vastas, também pela grande variedade de áreas que o Direito possui. Todavia, o nome da universidade conta muito no filtro dos escritórios para a contratação, sendo assim, escritórios grandes só contratam profissionais com faculdades com grandes nomes como USP, FGV ou Mackenzie, entretanto, a quantidade de escritórios menores é grande, e por isso a oportunidade de emprego é vasta em todos os casos.

 

Para o aluno que ingressar no curso de Direito é indicado que ele foque na prova da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), pois um profissional com aprovação nesta avaliação é melhor visto dentro do mercado de trabalho. 
 

Relações Internacionais:

 

O curso de Relações Internacionais, ao contrário do que se pensa o senso comum, é extremamente vasto e possui diferentes matérias dentro de sua grade, como economia, direito, história, ciência política e diplomacia. O eixo interdisciplinar do curso permite ao aluno ter um conhecimento completo e que ele crie um senso crítico apurado por conhecer diversas visões de mundo diferentes.

 

Entretanto, há uma certa dificuldade para decidir o foco da carreira pois existem muitos caminhos que podem ser seguidos profissionalmente. Outra dificuldade encontrada dentro do curso são os vestibulares, que no geral são concorridos, porém, com muito estudo e dedicação, portas abrirão para o vestibulando que escolher Relações Internacionais.

 

Sobre as línguas estrangeiras, o curso não obriga o aluno a ter conhecimento completo de outros idiomas, porém, durante as aulas, alguns textos ou artigos exigidos são em inglês, por exemplo. Deste modo, cabe ao aluno a responsabilidade de aprender outras línguas no decorrer do curso (inclusive a grande maioria das universidades possuem centros de idiomas para auxiliar o estudante no aprendizado de línguas estrangeiras). 

 

Apesar do conhecimento de diferentes idiomas ser visto como facilitador no decorrer do curso, dentro do mercado de trabalho o conhecimento de certas línguas é exigido para a contratação, na América Latina, por exemplo, são necessários principalmente inglês e espanhol.

 

O mercado profissional dentro das Relações Internacionais é grande, podendo-se trabalhar em ONGs, no campo político, na área diplomática, áreas ambientais, áreas sociais e até empresariais (que por sua vez vem se destacando bastante no mercado). Além disso, grande parte das universidades que possuem o curso de RI permitem que o aluno faça estágio em qualquer semestre, sendo ele uma atividade não obrigatória para a graduação/licenciatura.

 

*Vale ressaltar que, obviamente, cada universidade possui um foco de estudo diferente, sendo assim é importante que o vestibulando que pensa em realizar o curso de RI procure saber qual o foco de cada universidade de acordo com o seu objetivo.